Remédios: Psoríase em placas ou vulgar

Posted on

  • O mais grave, com risco de vida tipo paciente da psoríase, caracterizada por as exigências e a prevalência do processo, o que exige atenção médica imediata.

Psoríase em placas (psoríase vulgar) A psoríase em placas é a forma mais frequente da doença e aparece como uma mancha vermelha elevada com um acúmulo branco prateado de escamas de células cutâneas mortas. • Obesidade – O excesso de peso pode aumentar o risco de desenvolver um tipo de psoríase, a invertida, mais comum em indivíduos negros e HIV • positivos. Psoríase em placas ou vulgar: É a manifestação mais comum da doença. A psoríase pode causar lesões discretas ou ser uma doença grave, com lesões extensas e comprometimento das articulações. São 7 os principais tipos de psoríase (há outros ainda): psoríase em placas, psoríase gutata, psoríase invertida, psoríase eritrodérmica, psoríase ungueal, psoríase pustulosa e artrite psoriática. Grave também, será uma consequência da psoríase a nível das aticulações, a artrite psoriática, que pode causar rigidez nas articulações, dores, inflamação e inchaços. A artrite psoriática pode afectar cerca 10% dos pacientes com psoríase ligeira e até 30% dos que possuem psoríase grave. Existem cinco tipos de psoríase, sendo a forma mais comum aquela em surgem placas elevadas e avermelhadas cobertas de uma área esbranquiçada e que correspondem a células da pele mortas.

Psoríase em placas ou vulgar

  • National Psoriasis Foundation/USA, 2013
  • Associação Portuguesa da Psoríase
  • American Academy of Dermatology, 2013

Neste caso, existem placas com um fundo avermelhado e superfície escamosa, pele brilhante e escamas esbranquiçadas.

O tipo mais comum é a psoríase vulgar, também conhecida como psoríase em placas. A psoríase vulgar é aquela em que surgem placas secas na pele, que podem ser avermelhadas ou esbranquiçadas. Em geral, as placas provocadas pela psoríase vulgar provocam coceira e um pouco de dor. As lesões mais típicas da psoríase são uma espécie de placas de pele seca e avermelhada, que começam a descamar e causam comichão intensa e/ou dor. Nas situações em que a psoríase é mais “leve”, é possível controlá-la apenas com recurso a medicamentos tópicos, ou seja, aplicando determinado creme ou loção na pele. Tipos de psoríase: Psoríase em placas ou vulgar: É a manifestação mais comum da doença. Apesar do fato de que raspa de placas é determinado com patógeno, gutata psoríase não é uma doença contagiosa, não é contagiosa. A fototerapia UVB é também desaconselhada para as crianças, apesar de alguns dermatologistas ocasionalmente a prescreverem em caso de psoríase grave resistente ao tratamento. –Psoríase em placas ou vulgar: manifestação mais comum da doença.

Psoríase Vulgar ou em placas

  • O que é psoríase.
  • Fatores de risco.
  • Tipos.
  • Sintomas.
  • Tratamento.

Didaticamente, podemos classificá-la em 5 tipos: vulgar (placas), gutata, eritrodérmica, pustulosa e artropática.

Apesar de frequentemente comprometer o bem-estar dos pacientes, a maioria dos casos de Psoríase é leve, requerendo apenas tratamento ambulatorial. Psoríase na infância: geralmente apresenta-se com placas menos descamativas, em apenas uma ou em poucas áreas (região orbitária, região genital, área das fraldas), de disposição assimétrica ou na forma gutata. Psoríase no paciente HIV: frequentemente, a Psoríase é mais grave nos pacientes HIV positivos, podendo se apresentar pela primeira vez na infecção pelo HIV. Tipo de Psoríase: gutata à fototerapia + tratamento de infecção estreptocócica se associada; eritrodérmica ou pustulosa à drogas sistêmicas; placas (casos leves/moderados) à tópicos; (casos extensos) à fototerapia ou drogas sistêmicas. Gravidade do caso: casos de Psoríase pustulosa generalizada e Psoríase eritrodérmica podem requerer internação com necessidade de cuidados intensivos. A Psoríase em placas (Psoríase vulgar) é a forma mais frequente de Psoríase, representando cerca de 80% dos casos. A forma mais frequente de apresentação é a psoríase em placas, caracterizada pelo surgimento de lesões avermelhadas e descamativas (foto) na pele, bem limitadas e de evolução crônica. Lesões avermelhadas com descamação branca A psoríase em placas, em geral, se apresenta com poucas lesões mas, em alguns casos, estas podem ser numerosas e atingir grandes áreas do corpo. -Psoríase em placas ou vulgar: manifestação mais comum da doença.

A psoríase pode ser leve ou grave, mas por que a pele macia de uma criança é infectada com uma condição tão confusa?

  • Manchas nas unhas (pitting),
  • Descamação grave do couro cabeludo,
  • Dermatite de fraldas
  • Placas semelhantes com aquelas da psoríase adulta no tronco e nas extremidades.

Há tipos diferentes de apresentação da psoríase na pele: Psoríase vulgar: pequenas lesões até grandes placas, comuns em couro cabeludo, cotovelos, região lombar e joelhos.

Psoríase eritrodérmica: quando atinge a totalidade do corpo, sendo uma forma mais rara que pode ser grave e com sintomas sistêmicos. Existem diversos tipos de psoríase, classificados de acordo com o seu aspecto clínico: Psoríase em placas ou psoríase vulgar Este tipo representa a grande maioria dos casos de psoríase. Este tipo de psoríase é muito grave devido ao risco associado de desenvolvimento de complicações. O tipo mais comum é chamado de Psoríase em placas ou vulgar. Os graus de severidade da psoríase são divididos em leve, moderada e grave. Esta forma de psoríase é grave, pois, assim como uma queimadura, ela impede que a pele atue como uma barreira protetora contra lesões e infecções. As duas medicações mais eficazes para o tratamento da psoríase pustosa são o etretinato e a isotretinoína, os quais também são utilizados no tratamento da acne grave. Os tipos de Psoríase: PSORÍASE EM PLACAS: tipo mais comum, com lesões róseas ou avermelhadas recobertas por escamas de cor branca. PSORÍASE ERITRODÉRMICA: A forma mais grave e menos comum, com inflamações e manchas vermelhas em grandes áreas da pele.

Metotrexato: Um dos mais efetivos em psoríase extensa e grave.

A psoríase pode evoluir para forma grave em uma minoria de pacientes, atingindo toda a pele do paciente e causando risco de vida se não tratada rapidamente em ambiente hospitalar. A psoríase em placas, em geral, se apresenta com poucas lesões mas, em alguns casos, estas podem ser numerosas e atingir grandes áreas do corpo. A forma mais leve de psoríase no couro cabeludo, por sua vez, pode confundir-se com dermatite seborréica ou caspa. É preciso ficar bem atento aos sintomas mais comuns da psoríase, pois eles acabam muitas vezes sendo confundidos como um simples caso de reação alérgica. Comumente aparece em placas, como no caso da foto a seguir, em que há lesões vermelhas, que descamam, cuja evolução é crônica. Imagem: Reprodução Em alguns casos, a psoríase em placas pode se estender pelo corpo inteiro, embora o comum seja o aparecimento de poucas lesões. A psoríase eritrodérmica, bastante grave pelo risco de desenvolvimento de complicações, é uma forma generalizada de psoríase na qual toda a superfície corporal adquire um aspeto vermelho e inflamado. Em outros pacientes, a psoríase gutata evolui para psoríase em placas. Este tipo de psoríase é rara, mas é grave e precisa de tratamento urgente. Os sintomas variam de leve a grave, podendo desenvolver um dano articular progressivo que, nos casos mais graves, pode levar à deformação permanente. Metotrexate: medicamento via oral, é um tratamento eficaz para a grave psoríase, artrite psoriásica grave, psoríase eritrodérmica ou pustulosa generalizada que não responde a agentes tópicos ou fototerapia. Retinóides sistêmicos: a acitretina pode ser eficaz para casos graves e resistentes de psoríase vulgar com envolvimento de mais de 20% da superfície corporal, nas formas pustulosa, eritrodérmica e palmo-plantar. Imunossupressores: podem ser utilizados para psoríase grave. Os imunomoduladores biológicos são injetáveis Imunomoduladores biológicos:  são os medicamentos mais recentes para o tratamento da psoríase moderada a grave. Psoríase em placas ou vulgar O tipo mais frequente, caracterizada pelo surgimento de lesões elevadas, avermelhadas e descamativas na pele em forma de placas. No presente relato de caso, ilustramos um exemplo de eritrodermia de instalação grave e aguda, inicialmente tratado com corticoterapia sistêmica.